Pós-graduação em
Auditoria e Gestão da Qualidade aos Serviços de Saúde

Veja preços e condições de investimento:
  • Evolução cronológica e conceitual. A importância do conhecimento do paradigma sistêmico. Conceitos de Ética e Bioética, Stakeholders/ Partes Interessadas, Transparência, Governança Corporativa e Responsabilidade Social. Prontuário do paciente (em suporte de papel e em meio eletrônico). Termo de Consentimento. Legislações de categoriais profissionais relacionadas à temática. Princípios éticos e profissionais. Perfis e competências profissionais do auditor e da gestão da qualidade. Responsabilidade civil do profissional de saúde. Normas éticas de auditoria. Métodos de avaliação do aluno durante o curso.

    Sistemas de saúde brasileiros: públicos e privados - uma visão local, regional, estadual e nacional. Sistema Único de Saúde (SUS) e os reflexos na iniciativa privada. Dicotomia público-privado. Sistema Suplementar no contexto da saúde brasileira. Gestão de suprimentos e custos. Planejamento do trabalho e gestão estratégica competitiva. Possibilidades do planejamento como instrumento de mudança organizacional. Produtos/Serviços e Clientes. Visão Estratégica do Negócio. Missão Institucional. Filosofias Empresariais. Cenários. Análise dos Ambientes Externo e Interno. As principais variáveis de análise em Marketing. Administração de Marketing e suas principais ferramentas.  Avaliação do macroambiente. Segmentação e Concorrência. Parcerias Público-Privadas. Sistema de Auditoria em Contratos e Convênios. Política Hospitalar. Regras de Negócios.

    Formulação de políticas de saúde. Histórico das políticas de saúde no Brasil. Processo saúde-doença. Modelos de Atenção à Saúde. Promoção da saúde e prevenção de riscos e doenças e seus impactos na Saúde Suplementar. Organização e Funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e as discussões atuais. Seguridade Social e a Constituição da República Federativa do Brasil. Cúpula do Milênio (ODM/ ODS). Densidades tecnológicas e níveis de complexidade. Lei n. 8.080/1990, Lei n. 8.142/1990, NOB e NOAS. Pacto pela Saúde. Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde (COAP). Decreto n. 7.508/2011. Financiamento da Saúde/ blocos de financiamento/ Fundos de Saúde. Lei Complementar n. 141/ 2012. Entidades representativas e foros de negociação e pactuação entre gestores. Planejamento do SUS. Principais políticas nacionais de saúde. Redes de Atenção à Saúde e a lógica da Atenção Primária à Saúde. 

    Histórico da auditoria. Conceito de auditoria em saúde. O sistema de saúde brasileiro e a auditoria: público e privado. Principais regulamentações (Agência Nacional de Saúde – ANS e Sistema Nacional de Auditoria – SNA) – Lei n. 9.656/1998; Lei n. 9.961/2000; Lei n. 8.689/1993; Decreto n. 1.651/1995; entre outras. Auditoria nos Sistemas de Saúde e o mercado de trabalho. Auditoria e suas categorias profissionais/ multidisciplinaridade - normatizações. Processos de trabalho da auditoria. Contextualização e aplicabilidade das etapas e fases da auditoria - Auditoria Interna e Externa; Pré - Auditoria ou Prospectiva; Per Auditoria ou Concorrente; Pós - Auditoria ou Retrospectiva; Auditoria Analítica e Operativa. Impactos da qualidade dos registros da assistência prestada pela equipe multiprofissional. Prontuário do Paciente. Auditoria e os indicadores assistenciais. 

    Gestão da qualidade: conceitos, contexto histórico, métodos e técnicas de organização, planejamento, controle e melhoria da qualidade aplicada ao sistema e às organizações prestadoras de serviços de saúde. Qualidade como estratégia organizacional; planejamento da qualidade; metodologia de avaliação da qualidade dos serviços de saúde; organização de saúde e o ciclo de qualidade de serviços. Componentes da qualidade nos serviços de saúde. A qualidade como fator de sobrevivência e diferenciação em instituições de saúde: princípios da excelência – Sistema de Gestão da Qualidade: Certificação e Acreditação Hospitalar - fundamentos e benefícios. Organização Internacional de Padronização. Normas ISO e ONA. Gerenciamento do Sistema de Garantia da Qualidade em Saúde. Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). Gestão em saúde e segurança do paciente: qualidade do cuidado em saúde; a perspectiva histórica e principais desenvolvimentos da segurança do paciente; taxonomia em segurança do paciente; o erro e as violações no cuidado em saúde; magnitude do problema e os fatores contribuintes do erro e dos eventos adversos; direito e segurança do paciente. 

    Diferenciação dos níveis de planejamento: estratégico, tático e operacional. Planejamento estratégico. Avaliação e gestão de risco em organizações de saúde. Controle da Qualidade na Saúde. Métodos e as ferramentas gerenciais/ de qualidade: Fluxograma, Diagrama de causa-efeito - Ishikawa (Espinha de Peixe), Folha de Verificação, Diagrama de Pareto, Histograma, Diagrama de Dispersão, Controle Estatístico de Processo (CEP), Cartas de Controle, Brainstorming, Benchmarking, SWOT/FOFA, 5W2H, 5S e Ciclo PDCA. Mapeamento de processos e macroprocessos, processo de avaliação, análise e a elaboração de planos de melhoria (Ferramenta de Avaliação, Monitoramento e Controle). Avaliação de desempenho do sistema de saúde brasileiro: indicadores para monitoramento de saúde – estrutura, processo e resultado, além de indicadores epidemiológicos. 

    A construção da economia da saúde no Brasil. Regulação econômica no SUS e na Saúde Suplementar e políticas públicas relacionadas. Igualdade e equidade em saúde. Economia da saúde e desenvolvimento. Fundamentos de avaliação econômica em saúde e modelos de estudo. Introdução à economia industrial.  Avaliação econômica em saúde como suporte ao processo de tomada de decisões para a gestão de tecnologias sanitárias. Intervenções governamentais no campo da economia da saúde. A análise do mercado de saúde no contexto do complexo industrial em saúde - dinâmica de mercado. Gestão de recursos financeiros em sistemas e serviços de saúde. Contabilidade gerencial. Gestão de custos em saúde: conceitos e métodos de apuração. Planejamento e controle de custos. Tipos de custos existentes nas empresas de saúde. O cenário da auditoria no Brasil e sua ligação aos processos de validação de orçamento e investimentos em saúde. Controladoria a curto, médio e longo prazo. Tendências tecnológicas na saúde. Documentação pertinente a todo tipo de contratação. Indicadores e índices em saúde. Equilíbrio custo/benefício; orçamento e investimentos em saúde; e tomada de decisão. 

    Política Nacional de Regulação do SUS: regulação de sistemas de saúde, regulação da atenção à saúde e regulação do acesso. Instrumentos de gestão da clínica para a regulação do acesso. Regulação do sistema público, privado e da saúde suplementar. Complexo regulador/Centrais de Regulação - Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade (CNRAC) e Central Estadual de Regulação de Alta Complexidade (CERAC); Tratamento Fora de Domicílio (TFD); Núcleo Interno de Regulação; Regulação no contexto das urgências e emergências, da estrutura hospitalar e ambulatorial. Transferências e transporte de pacientes. Contrarreferência aos serviços de Saúde. Pactuações/ contratualizações/ grade de referência. Sistemas informatizados para regulação. O contexto atual da Regulação e a situação da judicialização da saúde.

    Auditoria interna de processos (contexto do prestador e da operadora/ gestor). Avaliação em Saúde. Avaliação da qualidade da prestação de serviços de saúde: aspectos conceituais e metodológicos. Momentos do Processo Autoavaliativo. Notificação para ações corretivas. Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde (PNASS). Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). Programa de Qualificação de Operadoras da Agência Nacional de Saúde Suplementar: avaliação de desempenho das operadoras, dimensões do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS). Pesquisa de Satisfação de usuários. Acreditação/ Certificação: aplicabilidade e impactos na auditoria interna de sistemas de saúde. Contratualização e regras de negócio: visão e relação do prestador e gestor/ operadora. Aplicação dos roteiros de visitas de credenciamento pelo próprio prestador de forma a se adequar às normativas. Utilização das notificações feitas pelas operadoras para fins de nortear as ações corretivas.  Promoção da Saúde e Prevenção de Riscos e Doenças: criação de programas e acompanhamento, monitoramento e manutenção de programas. Desospitalização e transição do modelo de cuidado. Inovações Tecnológicas e Gestão da Competitividade de Serviços de Saúde. Auditoria interna e educação continuada/ permanente.

    Sistema Nacional de Auditoria. Departamento Nacional de Auditoria do SUS. Legislações. Política Nacional de Gestão Estratégica e Participativa no SUS (ParticipaSUS). Diretrizes, finalidades, formas de operacionalização, tipos e natureza da auditoria. Plano de trabalho e papéis de auditoria. Fases analítica e operativa. Evidências, constatações e fontes de evidência, relatórios de auditoria – utilização de matrizes, SISAUD/SUS, notificação de responsáveis, apresentação de justificativas, encerramento de auditoria, encaminhamentos e acompanhamentos das recomendações. Termo de Ajuste Sanitário (TAS). Ressarcimento ao Fundo Nacional de Saúde. Introdução aos principais Sistemas de Informação em Saúde. Auditoria e controle da qualidade dos Sistemas de Informação em Saúde. Tabulação de indicadores. Normas de credenciamento e habilitação de serviços de saúde. Pactuações em saúde (serviços próprios e contratualizados ao SUS). Critérios e parâmetros para o planejamento e programação de ações e serviços de saúde no âmbito do SUS. Controle, avaliação e auditoria.

    Auditoria em procedimentos ambulatoriais e contas hospitalares. Fase analítica e operativa. Sistema de Captação, Processamento e Relatórios dos Sistemas de Informação Ambulatorial (SIA/SUS) e Hospitalar (SIH/SUS). CMD – Conjunto Mínimo de Dados: suas etapas de implantação e mudanças no processo. Estrutura do CNES e SIGTAP/ RTS. Importância do Sistema de Regulação/ SISREG. Instrumentos de registro do SIA/SUS – BPA-C; BPA-I; RASS e APAC. Instrumentos de registro do SIH/SUS: AIH (principal, especial e secundário). Especificidades dos Manuais Operacionais. Mudança de procedimento, emissão de nova AIH na mesma internação, procedimentos múltiplos, sequencias e politraumatizados, registro de diárias, CID x procedimento e procedimento x quantidade máxima, compatibilidades, validade da APAC, entre outros. Profissional solicitante, autorizador, executante e auditor: fluxo, rotinas e principais dilemas. Fluxo do processamento (sistemática e relatório de consistência) e pagamentos: rejeições e bloqueios. Desafios do faturamento. Contra-auditoria.

    Regulação da Agência Nacional de Saúde Suplementar. Conceito e tipos de planos (Lei 9.656/ 1998). Principais legislações/ normativas e regras de auditoria. Manuais de regras técnicas. Composição de uma conta hospitalar/ custos hospitalares. Regras de cobrança. Importância do faturamento. Redefinição de coberturas – Rol de Procedimentos. Introdução às ferramentas de auditoria. Rol de procedimentos e eventos em saúde. Padrão TISS/ TUSS. TUNEP. Compartilhamento de risco/ pacotes. Definição de diárias e taxas. Contratos e índice de reajuste (RN correspondentes): regras de negociações entre prestadores e operadoras de planos de saúde; dimensionamento da rede credenciada; instrumentos e regras de credenciamento/vistoria; importância do CNES. Moderadores de utilização: estabelecimento de regras e diretrizes. Glosas: definição. Ressarcimento ao SUS.

    Auditoria em procedimentos ambulatoriais e contas hospitalares na saúde suplementar: processo de trabalho/ rotinas. Parâmetros do Contrato entre as partes e do Rol da ANS vigente / Aplicação prática do Padrão TISS principalmente no Preenchimento das Guias / Tabela CBHPM: instruções gerais, forma de remuneração: portes de procedimentos, portes anestésicos e UCO / Apresentação e manuseio das tabelas de remuneração mais utilizadas: tabelas próprias, Brasíndice e Simpro. Principais insumos que compõem a conta: Diárias e Taxas (sala – equipamentos - serviços); gasoterapia; materiais e medicamentos (genérico e de marca, estabilidade, cálculos de dose, etc); OPME; noções de construção de Pacotes. Problemas mais comuns detectados na auditoria de contas e notificação à parte contrária para ações corretivas. Estratégias para redução de glosa. Contra-auditoria/ recursos de glosa. Importância do Manual de Regras Técnicas tanto do lado do hospital como da operadora: conceitos, itens inclusos e não inclusos em diárias e taxas, uniformização de regras de negócio com detalhamento para os principais insumos, especialmente taxas, materiais e medicamentos. 

    Análise de contas hospitalares do SUS e sua relação com as glosas (rejeições e bloqueios) e recursos de glosas/ contra-auditoria. Processo/fluxo prático de auditoria e faturamento de contas hospitalares (assistências ambulatorial e hospitalar no SUS). Contexto prático da utilização dos Sistemas de Informação em Saúde relacionados à temática. Simulação realística.

    Análise de contas hospitalares da Saúde Suplementar e sua relação com as glosas e recursos de glosas/ contra-auditoria. Processo/fluxo prático de auditoria e faturamento de contas hospitalares. Tabelas utilizadas pelos auditores (abordadas na disciplina “Auditoria e Faturamento da Saúde Suplementar”). A prática da utilização dos Sistemas de Informação em Saúde relacionados à temática. Simulação realística. 

    Avaliação de Tecnologias em Saúde. CONITEC. Protocolos/ Diretrizes/ Evidências. Legislação aplicável aos materiais de alto custo. Gestão de OPME/ DMI – Boas práticas: informações econômicas de produtos para saúde; ANVISA – consultas de produtos para a saúde, rótulos, informações sobre registro e instruções de uso dos produtos para saúde, consulta de banco de dados, NOTIVISA; OPME x procedimento; e controle/ rastreabilidade. Principais serviços e assistências de alta complexidade, em especial Unidades de Terapia Intensiva, Unidades de Cuidados Intermediários, Oncologia, Neurocirurgia, Traumato-ortopedia, Diálise/ Terapia Renal Substitutiva, Cardiovascular/ Hemodinâmica, Terapia Nutricional e Transplantes. Gerenciamento de casos e medicamentos de alto custo – assistência farmacêutica. Judicialização da Saúde. Fatores geradores de glosa. Ações para a redução da glosa. 

    Qualidade de vida. O que é viver para mim? Felicidade, como? É possível? Relações entre autoconhecimento e felicidade. O processo de introspecção como recurso à autossugestão. A condição em se oportunizar para o exame e análise de todas as variáveis da vida. A complexidade, diversidade e incompletude humana, como lidar com essas características? A prerrogativa da interdependência, porque precisamos do outro, qual a parcela do outro em nosso processo de autoconstrução. Ambiências geradoras de felicidade. A lei do triunfo como instrumento direcionador à felicidade e a plenitude humana.

    Proporcionar troca de experiências profissionais por meio da realização de visita técnica, previamente agendada e autorizada, em instituição (ões) (pública e privada) com destaque no mercado de trabalho, para fins de avaliar o funcionamento da Auditoria e Gestão da Qualidade nos Serviços de Saúde.

  • Cleuzieli Moraes dos Santos

    Enfermeira. Mestre em Saúde da Família pela Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul em parceria com a Fiocruz/ Mato Grosso do Sul. Possui especialização em: 1. Gestão de Políticas de Saúde Informadas por Evidências oferecidas pelo Instituto Sírio-Libanês; 2. Gestão da Clínica nas Regiões de Saúde, pelo Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês - IEP/HSL e o Ministério da Saúde; 3. Auditoria de Sistemas e Serviços de Saúde; e 4. Saúde Pública e Saúde da Família, as duas últimas pela Universidade Anhanguera - Uniderp. Filiada na Associação Brasileira de Enfermeiros Auditores (ABEA). Desde março/ 2018 é Enfermeira - Auditoria e Pesquisa, do quadro efetivo da Ebserh - HUMAP, de Campo Grande. Já desenvolveu ações na Unidade Básica e na Secretaria Municipal de Saúde de Nioaque, na área assistencial e burocrática, sobretudo com ações de monitoramento e avaliação dos serviços de saúde. Ainda neste município atuou como Coordenadora de Atenção Básica e dos programas de Saúde da Criança, Sisvan/ Bolsa Família na Saúde (Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional), HiperDia (Hipertensão e Diabetes), Suplementação de Ferro, Prevenção Primária de Câncer/ Tabagismo e Saúde do Adolescente, os dois últimos implantados durante sua atuação, além do planejamento na saúde/ PlanejaSUS e projetos técnicos na área de saúde. Na Secretaria de Estado de Saúde - SES/MS atuou na gerência de atenção especializada ambulatorial, com estratégias de fomento à estruturação das Redes de Atenção à Saúde, credenciamento e habilitação de serviços especializados (média e alta complexidade), apoio técnico aos municípios e estabelecimentos de saúde do Estado e avaliação em in loco de serviços de saúde. Ademais, participou de auditorias e de equipes técnicas de contratualização de serviços de saúde. Na Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (SESAU), por meio de cedência, desempenhou a função de Superintendente da Rede de Assistência à Saúde. Já foi conselheira de saúde, segmento gestor, em dois municípios. Ministra aulas em cursos de pós-graduação Lato Sensu, inclusive com orientação de trabalho de conclusão de curso, e aulas em cursinho preparatório para concursos, nas áreas de concentração de Saúde Pública, Saúde Coletiva, Gestão em Saúde e Auditoria. Possui trabalho premiado na IV Mostra Nacional de Experiências em Atenção Básica/ Saúde da Família e no XIII Congresso Centro-Oeste de Cardiologia. Participa do grupo de pesquisa e Políticas Públicas: planejamento, avaliação e equidade em saúde da UFMS. Integra o Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Hospitalar e coordena o Curso Lato Sensu de Especialização em Auditoria e Gestão da Qualidade aos Serviços de Saúde, turma 2019, da Faculdade NOVOESTE.

  • Proporcionar aos estudantes estudo e discussão dos princípios teórico-práticos que norteiam a Auditoria e Gestão da Qualidade traduzindo o compromisso do especialista como agente da mudança, através da aplicabilidade prática.

  • A constante busca pela performance plena dos estudantes, resultou em diversos paradigmas magníficos para plataforma de Alto Rendimento NOVOESTE. O caminho do saber e autonomia dos estudantes concretizaram um molde de aprendizagem privilegiado, transformando teoria em questões práticas reais e, sobretudo permeando crescimento constante dos Pós Graduandos frente os desafios de esfera regional - global.

    São utilizadas metodologias ativas de ensino, na preparação de apresentações, trabalhos em grupo e estudos de casos reais em propostas de soluções para problemas relacionados à temática, dando ênfase também, no desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais. A metodologia NOVOESTE Alto Rendimento remete a leitura de textos e visualizações de vídeos antes das aulas, desta forma o estudante adquire conhecimento prévio do conteúdo, construindo sua própria linha de discussão para os temas. Nossas especializações são altamente contemporâneas, para isso, os docentes fornecem sucessivamente artigos científicos e materiais -  indexados em veículos de credibilidade totalmente atualizados.

    Nessa categoria, o estudante tende a se preparar ao menos 1 hora por dia para os encontros, pois, não existe posicionamento para debates sem que o pós-graduando tenha uma base sólida daquele tópico. Nossas especializações são presenciais, logo 90% da carga horária é cumprida em sala de aula. O restante 10% contempla o monitoramento dos orientadores, supervisionando e acompanhando os estudantes, visitas técnicas, estágios supervisionados e, sintonia das ideias para com os trabalhos de conclusão de curso.

    O intuito desta plataforma é garantir que o estudante seja Ativo, evitando conferências apenas para ouvir o Docente. Nossas especializações refletem ocasião de encontro, trocas de saberes e, mais que isso, posicionamento de vanguarda do especialista NOVOESTE frente aos desafios coloquiais.

    Sobre as Visitas Técnicas

    As visitas técnicas ocorrem no decorrer do curso, em instituições Privadas e Públicas, contemplando distintas categorias de analises, bem como a estrutura de cada corporação, situações que compreendem a função do Auditor em Saúde. Apoiando a plataforma teórica da especialização.

  • • Instituição Credenciada ao Ministério da Educação, sob a Portaria nº 1.063, em 05 de Setembro de 2017.

    • Será considerado  aprovado o estudante que obter em cada disciplina do curso nota superior ou igual a 7 (sete) e a frequência mínima em cada disciplina de 75% (setenta e cinco por cento).

    • A Faculdade NOVOESTE  expedirá, ao final do curso, certificado de Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de especialização, aos estudantes que concluírem a todos os critérios de aprovação estabelecidos no regulamento do curso.

  • Profissionais da Saúde com nível superior.

Corpo Docente

DEPOIMENTOS DE NOSSO ESPECIALISTAS

APROVEITE AS VANTAGENS E COMECE A ESTUDAR AGORA!
Metodologia Alto Nível e Portal do Aluno
Metodologia diferenciada e acesso a materiais das aulas, notas e ferramentas através do sistema.
Corpo Docente Qualificado e Reconhecido no mercado.
Estude com os melhores coordenadores, professores e profissionais renomados nacionalmente.
Estude com a melhor Infraestrutura para o melhor rendimento
Salas de aula amplas, biblioteca, laboratório de informática, lanchonete e total acessibilidade, no centro de Campo Grande.
Veja preços e condições de investimento:

Cursos relacionados confira abaixo os outros cursos de pós-graduação

Erro ao enviar o e-mail
Email Enviado Com Sucesso!
Nós ligamos para você!
Erro ao enviar o e-mail
Email Enviado Com Sucesso!
Avise-me sobre lançamentos de cursos